Nossos filhos e o mundo virtual


Hoje o assunto é sério, interessante e reflexivo.

Semana passada participei de um debate sobre o mundo virtual e nossos filhos, foi tão interessante que achei bacana compartilhar com vocês, os vídeos são demais e para contar um pouquinho mais como foi, convidei uma engajada amiga, atriz por vocação e advogada talentosa por formação, além de mulher-polvo, mãe e esposa :-). Com vocês, Marilia Campos Oliveira e Telles.

A OPS – Organização dos Pais Solidários – da Escola Vera Cruz, promoveu na semana passada um encontro para debater o tema “Nossos filhos e o mundo virtual”. Para tanto, convidou o hebiatra (médico especialista em adolescentes) Dr.Maurício de Souza Lima, o advogado especialista em Direito Eletrônico Dr. Vinicius Cosso e a professora de História e autora do blog Discurso Citado Lilian Starobinas. Reunimos cerca de 100 participantes, incluindo vários professores e coordenadores da escola. O assunto “mundo virtual/ internet” tem muito a ser debatido e, para mim, ficou claro que precisa ser conversado sobre o mundo real também. Em síntese: as atitudes que não devem ser tomadas no mundo real, também não devem ser no virtual. As falas do Mauricio e do Vinicius foram complementares e, cada um no seu quadrado, ajudaram a compor um bom quadro. O hebiatra lembrou de questões como problemas físicos por má postura diante dos aparelhos eletrônicos e o sentimento de onipotência do adolescente, que lhe assegura pensar que “nada de mau vai acontecer comigo” – o que lhe permitiria postar e publicar o que bem entendesse, assim como fazer sexo sem camisinha… O advogado tratou da questão da responsabilidade civil, que deverá ser assumida pelos pais no caso de os filhos causarem danos a outras pessoas, como também da necessidade de prevenção, utilizando filtros para acesso da rede. Ambos ressaltaram a necessidade do trabalho educativo, cotidiano, “olhos nos olhos”, para formar cidadãos críticos e respeitosos, sabendo aproveitar o que a world wide web oferece. As famílias devem proteger seus computadores e trabalhar na educação dos filhos para evitar o acesso a conteúdos indesejados (como na vida real – por exemplo, o acesso ao álcool e ao tabaco). A Escola também deve participar disto, ajudando os alunos nesta formação, falar sobre “pensar antes de postar”, sobre a falta de filtros nos sites de busca, a necessidade de formar usuários críticos. Saímos com vontade de nos reunirmos novamente, dado o volume de temas a serem debatidos. Por exemplo, seria bacana também um novo encontro para falar das possibilidades positivas do uso da internet, aí tendo a Lilian como expositora (quando o Mauricio falou do peso das mochilas, ela cochichou: “livro digital!”). Afinal, graças à internet estou tendo o prazer de dividir estas idéias aqui no Inziders!

Aproveito para recomendar alguns vídeos – são todos vídeos curtos, não se assustem e assistam!

Where’s Klaus (o melhor para pais!)

IMPERDÍVEL! Think before you post – 2 videos – (meus preferidos para crianças e adolescentes assistirem!)

Girls – Think U Know CEOP English – (imprescindível para meninas e adolescentes se protegerem diante de uma webcam)

My Face – (para assistir em família – imaginar as conseqüências de uma “brincadeira” publicada)

Words Hurt (sobre cyberbullying)

Reportagens da TV: Contato da criança com a tecnologia é cada vez maior, aponta pesquisa

Jovem se mata depois de ter vídeo de encontro publicado na internet

Polícia de MG investiga indícios de pornografia infantil em blogs, clique aqui para ler a notícia.

E sobre a questão levantada no “Girls – think u know”, o site do Chilren Exploitation and Protection Centre (ceop.gov.uk) tem uma seção de dicas de como lidar com internet por faixa etária, com jogos para as crianças (claro, tudo em inglês…)e um guia para pais que remete ao https://www.thinkuknow.co.uk/parents/

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO: Recomendações e boas práticas para o uso seguro da internet para toda a família Cartilha Comissão dos Crimes de Alta Tecnologia da OAB.

Sua Privacidade Online Cartilha da Intel para esclarecimento da disseminação de informações pessoais em redes sociais.

O papel dos pais e educadores na formação dos jovens quanto ao uso ético e construtivo da Internet Estudo sobre o papel da escola na construção de uma base sólida com os jovens quanto ao uso da Internet e seus recursos.  E seguimos dialogando! um beijo Marília.

Marília de Oliveira Telles

Curiosa, ativa, dramática. Adoro gente, adoro conversar, adoro juntar gente para conversar! Me formei em Artes Cênicas na USP, trabalhei como atriz e produtora de teatro – dando muitas aulas de inglês para pagar as contas. Assim, depois de uma temporada na Europa fazendo bicos, percebi que no Brasil seria quase impossível viver de teatro e decidi mudar de rumo, procurar nova paixão. Estudei Direito no Mackenzie e me especializei em Famílias e Sucessões. Também sou Mediadora, profissional que busca restabelecer uma comunicação produtiva entre as pessoas que, por algum motivo, não estão conseguindo se entender – “quem não se comunica, se trumbica!”, avisava o Velho Guerreiro! Sou casada, apaixonada, e ainda mãe de dois moleques lindos, que me trouxeram novos amigos e aumentaram as conversas!

Anúncios

Sobre Patricia Centurion

Criativa, curiosa, inovadora, entre outros atributos, devido a sua paixão por pessoas e culturas, tornou-se uma boa observadora e ouvinte, sempre antenada com tudo o que acontece ao seu redor. Formada em Joalheria na conceituada escola italiana Le Arte Orafe, em Florença, e em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, com diversos prêmios, exposições e publicações em seu curriculum. Além de joalheira, devido a ser sempre a palpiteira das boas ideias para os negócios e eventos dos amigos, tornou-se, a pedidos, consultora em soluções criativas. Pretende compartilhar aqui seus incríveis achados e dicas.
Esse post foi publicado em Dicas, Educação, Mundo Digital e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Nossos filhos e o mundo virtual

  1. Luciana disse:

    Gostei muito do post. E como trabalho com livros digitais, gostei mais ainda. Os livros paradidáticos ainda estão longe de serem digitalizados, mas como em tecnologia esse “longe” é mais perto do que imaginamos, quem sabe teremos novidades em 2012?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s